Para lá de Marraquexe

Décor Marrakesh 1

Fotos: Gardens of Marrakesh

O que pode ser mais inebriante do que passear pelo clima árido e desértico, andar por uma imensidão de casas ton sur ton e de repente mergulhar num verdadeiro oásis, no meio da cidade. É assim no Marrocos, onde jardins dos sonhos se escondem onde menos se imagina.

Décor Marrakesh 2

Fotos: Gardens of Marrakesh

E é impossível não se transportar imediatamente para uma lenda entre esses jardins externos que despertam todos os sentidos nos mínimos detalhes. Os espaços são estudados para o deleite, combinando folhagens exóticas, flores perfumadas, fontes, luz, sombra, cores e formas nos desenhos típicos da cultura árabe.

Décor Marrakesh 3

Fotos: Gardens of Marrakesh

O interior dos Riads são verdadeiras miragens sempre surpreendentes. Enquanto não podemos ver ao vivo, viajamos nas inspirações do livro Gardens of Marrakesh de Angelica Gray. Vale incorporar trepadeiras para ornar janelas e divisões de espaço na casa, investir em plantas tropicais como minicoqueiros e bananeiras, mas também, claro… Vale ficar para lá de Marraquexe um dia!

A volta ao mundo em 12 jardins

Verdadeiros refúgios dentro de grandes metrópoles, os jardins urbanos são espaços que unem tranquilidade, harmonia, beleza, democracia e sociabilidade. Diante do ritmo frenético e do crescimento desordenado das cidades, eles nos transportam a uma época específica e são um convite à contemplação.

Com formas orgânicas ou perfeitamente simétricas, intimistas ou monumentais, são locais de visitação obrigatória quando queremos conhecer uma nova cidade e todas as suas faces. Aproveitando esta época de férias, selecionamos alguns dos mais belos jardins ao redor do mundo, para que possa incluí-los no roteiro da sua próxima viagem.

Garden of Cosmic Speculation (Dumfries, Escócia)

1

Foto: When on Earth

Da autoria do designer, arquiteto e paisagista americano Charles Jencks, este jardim é o “diferentão” da lista. Construído em uma antiga mina de carvão, se destaca sobretudo pelo trabalho de modelação do terreno. Foi desenhando com base em conceitos científicos e matemáticos. remetendo às teorias da evolução do universo.

Kew Gardens (Londres, Reino Unido)

2

Foto: Gray Shaw and Yeo

O grande complexo de jardins, arboretos e estufas fica situado num vasto parque na periferia de Londres e é uma importante atração turística para quem visita Londres. É um dos mais antigos jardins do mundo, abrigando uma das maiores e mais abrangentes coleções botânicas do planeta.

Château de Versailles (Paris, França)

3

Foto: Benevale

Da autoria de André Le Nôtre, considerado o maior paisagista barroco francês, os jardins do Palácio de Versalhes são os maiores já criados, com direito a todos os elementos de um típico espaço do séc XVII, como simetria, escala, proporção, esculturas, jogos de luz e sombra, fontes e canais.

De Keukenhof (Amsterdã, Holanda)

4

Foto: Dicas de Amsterdã

Localizado nos arredores de Amsterdã, só é possível visitá-lo durante dois meses do ano, entre março e maio. A atração, claro, são as tulipas de mil e uma variedades e cores. 

Jardim da Fundação Calouste Gulbenkian (Lisboa, Portugal)

5

Foto: Evasões

O Jardim da Fundação Calouste Gulbenkian é um marco incontornável e um dos jardins mais emblemáticos do movimento moderno em Portugal. O projeto dos anos 60 rompeu internacionalmente com as práticas da época para celebrar a paisagem portuguesa. Um “lugar privilegiado” no coração de Lisboa que não deve deixar de ser visitado. Uma dica: desfrute de um dos generosos gramados do jardim com uma boa leitura.

Jardines de la Alhambra  (Granada, Espanha)

6

Foto: Wikipédia

Localizado aos pés da Serra Nevada, de onde se pode ver toda a cidade de Granada, e utilizado pelos násridas muçulmanos como lugar de descanso, os jardins de Generalife compõem, em conjunto com todo o complexo de Alhambra, o expoente máximo da ocupação moura em Granada. Entre pátios, ciprestes, laranjeiras, labirintos, jatos e espelhos d’água, você pode facilmente viajar no tempo e imaginar os encontros amorosos de sultões e sultanas, que aqui relaxavam em meio a tanta beleza.

Jardim Majorelle (Marraquexe, Marrocos)

7

Foto: Quanto Custa Viajar

Da autoria do artista francês, e apaixonado por botânica, Jacques Majorelle, este jardim inspirado nos jardins islâmicos, data dos anos 30 e é simplesmente inebriante. Abriga mais de 3 mil espécies botânicas, entre plantas exóticas e espécies raras, que o pintor recolheu durante suas viagens ao redor do mundo. Explosão de formas e cores – um deleite para os olhos.

Jardim ornamental do templo Bahá’i (Haifa, Israel)

8

Fotos: Lisboa Telaviv Blogspot

18 jardins monumentais conectam o pé da montanha ao seu cimo, nove acima e nove abaixo do santuário de Báb, um dos locais mais sagrados para o Bahá’í. As linhas e curvas dos jardins dirigem o olhar e as emoções do visitante na direção do santuário.

Koishikawa Korakuen (Tóquio, Japão)

9

Foto: Demusitecture

Data do século XVII, sendo por isso considerado um jardim de importância histórica. Surge como um oásis em meio à agitada Tóquio. O espetáculo está garantido durante o ano inteiro, com a explosão de cores de janeiro a janeiro e uma paleta para cada estação.

Butchart Gardens (Victoria, Canadá)

10

Fotos: hellobc.jp

Mais de 700 espécies e mais de um milhão de plantas florescem lá durante todo o ano. Os jardins de Butchard, nos arredores de de Victoria, são uma atração mundialmente conhecida por suas incríveis paisagens e não deve ficar de fora do roteiro em uma viagem a Vancouver.

High line park (Nova Iorque, Estados Unidos)

11

Fotos: Sacola Ecológica

Mais do que um jardim, um parque linear de aproximadamente 2,5 km, construído a 8 metros do chão, em uma antiga via férrea elevada de Nova Iorque. Caso notável de reabilitação urbana, é um passeio inusitado que vale a pena ser percorrido.

Villa d’Este (Tivoli, Itália)

12

Fotos: Italien Entdecken

Classificado pela UNESCO como Patrimônio Mundial da Humanidade, surpreende até os olhares mais experimentados. Uma obra-prima da arquitetura paisagista renascentista do séc. XVI e um verdadeiro “giardino all’Italiana”, com cerca de 500 pontos de onde jorram água. Os jogos d’agua são o ponto alto para os visitantes.

 

Beleza do deserto

diga sim 1

Fotos: Casar é um Barato | Etsy

Resistentes, de fácil cultivo e charmosas, o mundo inteiro parece ter caído de amores pelas suculentas. Em mil formas, cores e versões, as plantas que vêm do deserto têm virado um verdadeiro fetiche.

diga sim 4

E muito além da decoração, as suculentas também têm invadido festas de casamento de maneira para lá de original. Elas aparecem em arranjos em cima das mesas, enfeitando o bolo de maneira natural e elegante, além de enfeitarem o espaço em pequenos detalhes.

diga sim 3

Fotos: Casar.com

Também viram buquês bem interessantes e surpreendentemente delicados, entre rosas claras e outras flores mais suaves para criar um contraponto.

diga sim 2

Fotos: Stone Fox Bride | Casar.com

Outra ideia bacana é fazer das plantinhas um brinde para lá de acessível e inesquecível, afinal, se bem cuidadas, como um bom casamento, elas prometem durar para sempre.

Plantas exóticas

Para se adaptarem às terras mais inóspitas, algumas espécies plantas desenvolveram características surpreendentes e aparências pouco comuns. Conheça algumas delas:

Adansonia digitata (Baobá) e Rafflesia arnoldii (Raflésia)

flores 3

Fotos: hiveminer.com | makemytrip.com

Nativa de Madagascar, a Baobá vive por centenas de anos e é capaz de armazenar uma grande quantidade de litros de água no interior do seu tronco, que pode atingir até 10 metros de diâmetro. É uma árvore de folha caduca. Na época seca, quando fica sem folhas, sua forma escultural pode ser melhor apreciada.

Se você “tropeçar” com uma Raflésia na sua próxima viagem à Indonésia, saiba que você é um privilegiado. Ela é uma das plantas mais raras do planeta e, além da sua aparência absolutamente espetacular, a Raflésia é detentora da maior flor do mundo. Mas a nossa dica é admirá-la de longe. Quando está florida, ela emana um odor pouco agradável.

Dracaena cinnabari (Dragoeiro)

flores 2

Foto: huffingtonpost.com

Nativa de Socotra, no Oceano Índico, também é conhecida como árvore sangue de dragão, por conta de sua seiva vermelha escura. A sua forma peculiar se assemelha a um grande guarda-chuva. Não é tão raro vê-la cultivada como ornamento no Brasil.

Welwitschia mirabilis (Polvo do deserto)

flores 1

Foto: flickr.com/kodilu

Não podemos afirmar que é a mais bela das plantas, mas com certeza é uma das espécies mais curiosas encontradas na natureza. Ela é composta por duas folhas que crescem continuamente e por um caule robusto que não passa dos dois metros de altura, mas que pode engrossar até 8 metros de diâmetro. Esta espécie pode viver além dos mil anos e sobreviver até 5 anos sem chuva.

A natureza é de fato incrível, não é mesmo?

Na pendura

décor 1

Foto: Tumblr Kemukujara

O desejo é de transformar o seu canto numa floresta urbana, mas falta espaço? Existe uma solução para lá de charmosa para deixar sua casa mais verde e, de quebra, inovar no jeito de espalhar as plantas ao seu redor.

Os pendentes andam cada vez mais em voga. Estamos encantadas não só pela beleza das plantas, mas também por uma vida mais natural e pelo contato manual com a natureza, é uma delícia cuidar e manter nossos jardins urbanos.

décor 2

Fotos: Growing Spaces | Blog Lovin

Para solucionar a falta de espaço para tanto desejo, temos ótimas ideias de lugares e “penduricalhos” interessantes. Podem estar numa parede como obras de arte, reacender um corredor sem graça, adornar uma janela ou mesmo “flutuar” sobre a sala ou um quarto.

Siga o clima “natural” e escolha cerâmicas cruas, amarrações em corda, crochê ou tricô. Vale inclusive botar as mãos à obra num DIY, por que não? Outra ideia bacana é pendurar os vasinhos em um galho. Esse truque de décor está ganhando força e você não precisa nem se meter numa floresta, já é possível encontrar belos galhos prontinhos com ganchos em lojas.

décor 3

Fotos: Nylon

E boa floresta nova para você!