De tirar o fôlego

Top Gun

Fotos: divulgação/reprodução

Por essa ninguém esperava, de carona em uma série de refilmagens e continuações surpreendentes, Tom Cruise anunciou essa semana que está em produção a sequência do clássico Top Gun: Asas Indomáveis, depois de nada menos que 31 anos do seu lançamento.

Top Gun

Fotos: divulgação/reprodução

Não é preciso ter vivido a década de 80 para se lembrar do ator americano com seus óculos aviador, interpretando Maverick, que entra na acadêmia para se tornar piloto, se envolve em disputas e acaba vivendo um romance tórrido com sua instrutora. O elenco de “novos talentos” incluia Kelly Mcgillis, Meg Ryan, Tim Robbins e Val Kilmer, que também já anunciou que vai participar do novo filme.

Ainda não sabemos muito da história, mas já ficou com aquela nostalgia gostosa daqui, então vamos ficar de pés para cima relembrando esse clássico. E, claro, da música que nunca saiu da nossa cabeça:

Com elas

Domingo é dia de passar acolhida com um abraço materno, seja entre mães, filhas, madrastas ou vovós, de celebrar esse amor incondicional e cheio de nuances que inspirou alguns filmes deliciosos. E por que não revê-los e tornar seu domingo ainda mais especial, entre pipoca, vinho, chocolate, hmmm… O que houver de mais gostoso para se compartilhar com o alvo desse amor tão único e especial.

Pés para cima 5

E as mulheres da nossa equipe têm ótimas sugestões, cada uma com um filme que toca, diverte, acalenta ou inspira leveza, para ficar de pés para cima e coração quente no Dia das Mães.

Para começar com uma mãe para lá de excêntrica, a mãe-sereia da adolescente certinha Charlotte, a moderninha Sra. Flax interpretada pela maravilhosa Cher nesse hit dos anos 90. Além da história delicada e gostosa do conflito de personalidade entre mãe e filha, “Minha mãe é uma sereia” ainda traz Winona Rider no auge e Christina Ricci no início de carreira.

Pés para cima 4

Outro clássico que vamos adorar relembrar é o musical “A Noviça Rebelde”, com Julie Andrews, uma dose de açúcar na medida certa para lembrar que o amor de mãe também pode ser construído. A história de amor entre a noviça e as crianças da família Von Trapp sempre merecerá ser visto e revisto (e revisto de novo!).

Pés para cima 2

Para quem gosta de tintas mais dramáticas, nada como o tempero espanhol de Pedro Almodóvar em “Volver”. O filme estrelado por Penélope Cruz que exala perfume de mãe ao mostrar a relação intensa de uma família só de mulheres perante uma situação inesperada.

Pés para cima 6

Humor e amor também não faltam em “Mamma Mia”, a versão cinematográfica da peça da Broadway com a diva Meryl Streep, relembrando os clássicos da banda ABBA através da história de uma filha, na véspera do seu casamento, em busca de seu verdadeiro pai.

Pés para cima 3

Já o brasileiro “Que horas ela volta” mostra um amor materno com atmosfera realista, abordando a relação materna de uma babá com o menino que ajudou a criar e o afeto pela sua filha que cresceu distante.

Pés para cima 1

Para quem curte um drama, nada como a belíssima história real de “Lion”, com Dev Patel e Nicole Kidman. De emocionar com a história do menino indiano que se perdeu aos 4 anos na Índia, foi adotado e muito amado por uma família australiana.

Todas as emoções do mundo nesse dia das mulheres mais importantes de nossas vidas!

Para olhos e ouvidos

O Grande Gatsby

Foto: divulgação/reprodução

Que tal ficar de pés para cima aproveitando duas grandes paixões, jazz e cinema? Pois o site Um Jazz por Dia fez uma listinha preciosa de vários filmes que combinam a sonoridade que embala nossa coleção e estão disponíveis na Netflix. Nós separamos alguns aqui:

Começamos com um filme que mistura não só o som, mas o clima jazzy dos anos 20. “O Grande Gatsby” é um deleite visual completo, com a história criada por F. Scott Fitzgerald e roteiro criado por ele e Francis Ford Coppola, além das beldades Robert Redford e Mia Farrow no elenco.

B.B. King

Fotos: divulgação/reprodução

O filme “B.B. King: The Life of Riley” tem a narração de Morgan Freeman para contar a trajetória do ícone B.B. King, das plantações de algodão do Mississipi, em meio a todo preconceito e segregação racial, até se tornar o Rei do Blues nos Estados Unidos.

Woody Allen

Fotos: divulgação/reprodução

Woody Allen é um grande apaixonado e inclusive costuma dar shows com uma banda de jazz nas horas vagas, então é claro que o assunto não podia faltar no seu repertório. No filme “Poucas e Boas”, o ator Sean Penn interpreta o músico Emmet Ray num falso documentário para lá de divertido.

Nina Simone

Fotos: divulgação/reprodução

Já “What Happened, Miss Simone?” é um documentário imperdível para os amantes de jazz, fãs da cantora e quem se interessa por personagens emblemáticos. O filme segue a trajetória de cantora como ativista política e mostra o quanto isso influenciou na sua carreira. Sem contar que é uma ótima oportunidade de ouvir suas músicas!

Chicago

Foto: divulgação/reprodução

O musical “Chicago” é outra maravilha que, além de mostrar o gênero musical, ainda mergulha no clima da época que nos inspiramos. O filme combina intrigas, escândalos, crimes e muito glamour para retratar a cena musical da cidade americana anos 20, com Catherine Zeta-Jones, Renée Zellweger e Richard Gere estonteantes.

Agora é só preparar a pipoca!

O novo de Wes Anderson

Wes Anderson

Imagem: divulgação/reprodução

Conhecido tanto pela estética retrô incrível e irretocável de todos os seus filmes, assim como pelo casting sempre de tirar o fôlego, o diretor Wes Anderson, que fez aniversário ontem, dia 01 de maio, acaba de anunciar a data e o elenco de seu próximo lançamento.

Sua primeira obra depois do superaclamado Hotel Budapeste se chamará Isle of Dogs. Pelo cartaz, todo escrito em japonês, será lançado daqui a exatamente um ano. E se você acha que é uma longa espera, espere até ver o elenco que inclui nomes como Bill Murray, Scarlett Johansson, Tilda Swinton, Edward Norton, Liev Schreiber, Frances McDormand, Greta Gerwig, Harvey Keitel e até, pasme, Yoko Ono.

Wes Anderson

Imagem: divulgação/reprodução

O filme será uma animação no estilo stop-motion, como fez no Fantastic Mr. Fox, de 2009. Mas vamos combinar, ainda assim é um elenco de tirar o chapéu. Como sempre faz em seus filmes, mais uma promessa de beleza, extravagância visual, esquisitices e muita poesia.

Mal podemos esperar!

A cores

Amélie

Imagem: https://twitter.com/cinemapalettes

Um filme pode ser memorável pelo roteiro, pelo elenco incrível, por uma locação inesquecível e principalmente por tudo isso junto. Mas às vezes um longa entra para sempre no nosso imaginário pelas cores que passeiam entre as cenas, com tanta harmonia que nem percebemos.

Edward Mãos de Tesoura

Imagem: https://twitter.com/cinemapalettes

E embora a gente não pense de imediato nisso, a beleza que envolve a escolha da cartela de cores pode transformar toda a experiência do filme. É o que prova @cinemapalettes, uma conta no Twitter que traz uma análise detalhada dos tons que definem algumas das nossas obras cinematográficas preferidas.

Encontros e Desencontros

Imagem: https://twitter.com/cinemapalettes

Entre eles “Hotel Budapeste” e sua coleção de rosas, os tons pastéis com perfume de conto de fadas de “Edward Mãos de Tesoura”, os tons frios de Encontros e Desencontros, os tons terrosos de “Amélie Poulain” e o solar “Moonrise Kingdom”, também de Wes Anderson, um craque em filmes belamente coloridos.

Hotel Budapeste

https://twitter.com/cinemapalettes

Mas o melhor é que desperta o desejo de assistir de novo todos eles!