Costurando amor

Hildete 1

Feito maestro com a sua partitura, Dona Hildete rege uma orquestra composta por tecidos mil. No lugar da batuta em mãos, a máquina de costura. Como cordas do violão que vibram, as linhas seguem um movimento fluido, cadenciado pela agulha ritmada. Nessa dança que segue há quase 50 anos, a costureira mostra que sabe exatamente para o que nasceu.

Se está triste, costura. Se está alegre, costura. A vida, para ela, é compor peças repletas de detalhes, amor e dedicação. Dona Hildete transforma trabalho em lazer e faz da Maria Filó sua segunda família, com a qual compartilha seus dias há quase 16 anos.

Feliz Dia da Costureira para a nossa querida Hildete e para todas as outras costureiras que fazem toda a diferença no nosso dia a dia!

Hildete 2

Como você começou a costurar?
Eu comecei com 16 anos, sempre trabalhei com costura, é a minha vocação. Quem me trouxe para cá foi o filho da dona Célia (criadora da marca). Gosto da Maria Filó, é a minha segunda família. Me sinto em casa. É um lugar muito bom para trabalhar. Todo mundo é amigo, todo mundo fala comigo. Quando eu comecei, a Maria Filó era pequena. Umas 4 lojas, tinha só uma máquina de costura caseira. Agora temos muitas máquinas industriais. Não tinha pilotista, modelista, era só eu mesma.

O que mais gosta na arte da costura?
Gosto de tudo. Teve uma época que pilotei. Sou pilotista, modelista e costureira.

Se não fosse costureira, seria o quê?
Nada. Se estou alegre, me divirto com a costura. Se estou triste, me divirto com a costura. Costuro aqui e, quando estou em casa, me distraio com a costura. Me sinto bem. Meu trabalho é lazer. Tenho paciência e dedicação.

O que é mais importante para ser uma boa costureira?
Muita paciência e gostar do que faz.

Qual é a o maior aprendizado que teve nesses anos?
Aprendi muita coisa. A convivência com as pessoas, a educação. Todo mundo gosta de mim, me trata bem, eu gosto de todo mundo. Eu sou comunicativa e adoro esse contato com as pessoas.

O que gosta de fazer nas horas vagas?
Costura! Se não tenho nada para fazer, eu costuro. Tenho que costurar. É o dom da pessoa. Minha família toda é dessa área. Meu pai era alfaiate. Minhas 7 tias eram costureiras.

Você faz as próprias roupas?
Faço camisa e calça para o meu filho. Já fiz vestido de casamento, de madrinha. Eu brinco com a tesoura, com a máquina, eu gosto de trabalhar. Domino a costura.

Listras: siga à risca

Listras 1

Infalíveis, versáteis, atemporais… Não faltam adjetivos para descrever as clássicas listras, que marcam presença no guarda-roupa das mais modernas até as românticas. A padronagem ganha mil versões e invadem tecidos diversos, impossível não eleger uma que desperte seu desejo.

Listras 2

Com o frio batendo à porta, a dica é apostar nos tricôs da temporada, que surgem em medidas alongadas para esquentar e ainda emprestar estilo de sobra às produções. Da opção P&B, passando pela paleta quente do trench coat até o colete mais levinho, as opções da vez são protagonistas de qualquer visual.

Listras blog

Falando em roubar a cena, o vestido de tricô faz um jogo esperto entre as listras e o efeito plissado, surpreendendo as adeptas de looks criativos e as mais clássicas que não dispensam as tramas-desejo e o duo cromático mais desejado da moda. As listras menos óbvias também invadem o tricô preto, que se apropria das tramas para criar um efeito para lá de criativo e inusitado.

Listras azuis

Outra versão nada tradicional e reinventada é a listra floral, que traz os contornos das pétalas para uma parceria esperta e charmosa com as linhas ornadas por nuances de azul. O tom também aparece no charmoso vestido mídi, que aposta no namoro delicioso com o branco.

Difícil mesmo vai ser escolher só uma!

Na reta da moda

Editorial

Nada como um clássico blazer numa versão atualizada para emprestar sofisticação ao look, não é mesmo? Perfeito para um dia de trabalho, ele renova a produção e ainda pode ser usado à noite, num mix perfeito entre formalidade e feminilidade.

Indispensável no armário da mulher contemporânea, ele surge apostando numa técnica primorosa e rica em detalhes: bordado prensado. Para compor, o conjunto com ar de macacão chega afinado e caprichado num leve xadrez, padronagem que segue infalível quando o assunto é moda.

Pronta para entrar na(s) reta(s) da moda?

Dica quente

Ponchos 1

Fotos: Fashion Gun | Maria Filó | People and Styles

Uma maneira mais despretensiosa e surpreendente de encarar os ventos mais frios e a chuva do inverno é trocar as jaquetas e casacos tradicionais por um poncho, que tal experimentar?

Ponchos 2

Fotos: Closetful of Clothes

A referência boho segue os passos de Georgia O’Keeffe no Novo México e traz uma pegada artesanal para o nosso dia a dia. A peça é mais versátil do que se imagina, prometendo um ótimo casamento com calças mais ajustadas, seja uma skinny ou uma legging, um bom par de jeans básico e até uma bela pantalona.

Ponchos

Fotos: Maria Filó | Front Row | Maria Filó

O poncho também pode desfilar livre, leve e solto, sendo a cara do conforto e, ainda assim, supercharmoso. Os modelos podem ter perfume mais étnico ou trazer texturas mais discretas, basta escolher o que seja mais a sua cara. Só não vale não experimentar!

Quebra-cabeça da moda

Editorial 1

O frio chegou e, com ele, novas tramas invadem as produções mais quentes da temporada. A dica de hoje é o pull que vem com um jogo de encaixe de punhos e golas removíveis. Você pode escolher usar com ou sem os detalhes extras, transformando uma peça em duas para não enjoar nunca. Puro charme!

Editorial 2

Para arrematar, aposte no mix de formas florais que realçam o pescoço com leveza. Os tons esquentam o look mais sóbrio, numa contraposição afinada e cheia de bossa. Pronta para passar o fim de semana à flor da pele?