Arte verde

Inhotim

Foto: www.topensandoemviajar.com

Aberto oficialmente ao público em 2006 pelo colecionador Bernardo Paz, o Instituto Inhotim é um dos mais importantes acervos de arte contemporânea do Brasil. Construído dentro da fazenda do seu fundador, em Brumadinho (MG), ganhou título de maior museu a céu aberto do mundo. 

Inhotim

Foto: rioarttours.org/art-trip-to-inhotim-park

De toda a área ocupada,  apenas 140 hectares estão abertos à visitação e aproximadamente 145 correspondem a uma área reconhecida como Reserva Particular do Patrimônio Natural Inhotim (RPPN), localizada dentro do bioma mata atlântica. A relevância dos jardins do Inhotim vai tão além das suas qualidades estéticas que, em 2010, o instituto recebeu a chancela de Jardim Botânico.

Inhotim

Fotos: luigginomundo.com | topensandoemviajar.com

A preocupação estética na disposição do acervo botânico dentro da área de visitação é representada em grande parte por espécies com valor paisagístico. A introdução de plantas raras são estrategicamente usadas para sensibilizar os visitantes em relação à importância da biodiversidade.

Inhotim

Fotos: topensandoemviajar.com

Em números: são pouco mais de 4.200 espécies de plantas, representantes de 953 gêneros, distribuídos por 181 famílias botânicas e pertencentes a 52 ordens diferentes, que fazem desta coleção a maior entre todos os jardins botânicos brasileiros. Destaque para a coleção de palmeiras, uma das relevantes do mundo, contando com  mais de 20.000 indivíduos representantes de 1.400 espécies diferentes. Além delas, os mais expressivos acervos botânicos são as de aráceas e orquídeas, em segundo e terceiro lugar, respetivamente.

Inhotim

Fotos: www.skyscrapercity.com | melhoresdestinosdeviagens.com

O lugar conta com extensas áreas de espelhos d’água refletindo toda essa beleza. Agora, imagine tudo isso servindo de cenário para um monte de instalações artísticas e ainda se comunicando com elas. Arte e paisagem em contato e harmonia, convidando você a participar dessa rica troca.

 

 

Blog_Trabalhe_Conosco_2016

Notícia boa para começar a semana. Estamos com uma nova vaga aberta para trabalhar no nosso escritório. Saiba mais:

Assistente de Audaces (CAD)

– Local: São Cristóvão, Rio de Janeiro
– Horário de trabalho: 2ª à 6ª feira, das 08h15 às 18h

Perfil desejado
– Escolaridade: Ensino Médio
– Cursando ou ser formado em Tecnologia de Produção em Vestuário e ter o curso de Sistema Audaces.

Funções do cargo
- Digitalizar moldes para o Audaces;
– Conferir moldes com a peça piloto;
– Calcular a projeção de consumo de tecido (minirisco);
– Ampliar o molde digitalizado.

Interessados deverão enviar currículo para carreira@mariafilo.com.br. Boa sorte!

A nova listra

Listras da moda

Fotos: thehauteticket.com | Maria Filó | Who What Wear

Sempre pensamos em navy quando o assunto são as listras, mas nessa estação a padronagem vai muito além. Versátil que só, as listras se renovam numa versão ainda mais contemporânea criando um incrível mix, inclusive, quando combinadas entre si.

Listras da moda

Fotos: fashionn.com |Maria Filó

Finas ou largas, as listras se encontram em diferentes direções criando uma estampa cheia de texturas e geometrias. E não só, aparecem cercadas de uma fluidez nova, trazendo movimento ao look. A nova pegada ainda mais elegante eleva as listras a uma posição de destaque, levando as peças a ocasiões mais formais e até a eventos sofisticados.

Listras da moda

Fotos: Maria Filó | mikadopersonalstyling.com | Maria Filó

Mas é claro, também continuam infalíveis em looks despretensiosos, basta combinar com uma peça lisa e até com estampas florais, num mix que alegra qualquer dia e não cansa nunca.

Aliás, não tem como cansar das listras jamais!

Belas mentiras

Big Little Lies

Imagens: divulgação/reprodução

Que tal aproveitar mais um feriadão para se jogar numa série deliciosa, que vem dando o que falar? Big Little Lies parecia não ter muito erro. Com um elenco que reúne Reese Witherspoon, Nicole Kidman, Shailene Woodley e Laura Dern, a história que se passa num cenário de tirar o fôlego, na Califórnia, é inspirada num livro do mesmo nome de Liane Moriarty, que virou best seller nos EUA.

Big Little Lies

Imagens: divulgação/reprodução

A trama, que mistura tema policial e comédia de humor negro, entra na vida de cinco mães da “alta sociedade” e mostra que por trás de sorrisos largos e vidas aparentemente perfeitas se escondem muitos segredos, traumas e mentiras. As histórias se cruzam numa escola, onde uma das crianças é acusada de bullying, e acaba se transformando num mistério, daqueles que ficamos até o final tentando descobrir.

Big Little Lies

Imagens: divulgação/reprodução

Sem nenhum spoiler, vale dizer que Big Little Lies vai muito além do que se espera e mostra um belo retrato de união e empatia entre mulheres, que agrada também aos homens. Ou qualquer um que goste de atuações brilhantes e de um roteiro daqueles, quem não?

Arte (de)coração pulsante

Ana Strupmf

Foto: Alessandro Guimarães

As cores e formas de Ana Strumpf saltam e pulsam aos olhos. É nessa batida pop, divertida e repleta de amor que a multicolorida e multifacetada artista deixa sua marca em tudo que faz. A criativa renova o fôlego e preenche espaços com um olhar singular, levando sua arte híbrida para ilustrações, projetos de décor, móveis e para emblemáticas capas de revista.

Não para por aí. Sem fronteiras, seus traços também invadem produtos criados a partir de parcerias com marcas mil. Aqui na Filó, ela já assinou uma linda bolsa para a coleção Instantes Sonhados. O caráter múltiplo se estende à vida pessoal: mãe de gêmeos, Ana é dona de casa e vive na ponte aérea entre SP e NY. Para driblar a correria, a artista recorre à ioga e tem tentando incorporar a meditação na rotina.

Falando em equilíbrio, a ilustradora não resiste a um pretinho básico. “Trabalho com tanta cor que preciso equilibrar. Amo preto, jeans, batom vermelho, listrado, clássicos, pérolas”, revela ela, que é formada em moda. “Minhas paixões são moda, design e arte”.

As nossas também, Ana!

Ana Strumpf

Fotos: acervo pessoal

Confira a entrevista:

Conta para a gente como tudo começou, como a ilustração entrou na sua vida. E o restante dos projetos?
Eu sempre gostei der desenhar, sempre fez parte da minha vida. Desde criança eu dizia que queria ser pintora. Estudei moda e meu trabalho de conclusão de curso foi criar uma loja chamada Garimpo, que usava sobra de tecido da loja de decoração dos meus pais. Tinha muita sobra de tecido que eu reaproveitava. A loja durou 6 anos, foi de 2003 a 2009. Acabou que meu marido passou para uma bolsa de estudo em NY e eu fui com ele. Foi então que fechei a loja. Comecei a desenvolver os projetos de decoração, lado da minha carreira que perdura até hoje. Junto disso também comecei a desenhar de maneira bem orgânica. Comecei a “rabiscar” em capa de revista. Foi bem na época do início do Instagram, postava e todo mundo gostava, repostava. Meu trabalho começou a viralizar em blogs também. Por conta das capas de revista, algumas marcas começaram a me pedir trabalho. Nem eu acredito que eu vivo das minhas criações. Minhas paixões são moda, arte e design, sempre gostei desse universo.

Ana Strumpf 2

Fotos: acervo pessoal

O que tem feito hoje em dia? Quais são seus projetos atuais?
Estou sempre com pé na moda, no design de interiores, decoro minhas capas. Já fui produtora de moda, de revistas, fui vendedora, já fiz curso de desenho. Nunca perdi essa ligação com a moda. Cada hora estou envolvida em um projeto. Também faço produto, gosto de juntar tudo. Produto, cenografia, ilustração. Agora estou em SP, mas sempre volto para NY, me identifico muito com a cidade, é minha preferida. Estou sempre envolvida com marcas internacionais, agora vou fazer parceria com de decoração e de beleza. Tem projeto novo vindo por aí.

Design sempre foi uma paixão? Quais são suas outras paixões?
Além da minha família e amigos, eu amo arte, música, cinema, todas as artes, comer. Passar o fim de semana com minha família, ver seriado. Agora estou vendo “Girls”, “Love” e “Big Little Lies”.

Ana Strumpf

Foto: acervo pessoal

O que te inspira a criar?
Desde andar na rua, em qualquer lugar, ver as pessoas, vitrines, museus, arte. Estou buscando referências sempre. Vejo coisas legais no Instagram, na internet. Meus filhos gêmeos de 3 anos e meio, o Max e o Noah, me inspiram demais. Estou mais solta nesse mundo lúdico das crianças. É uma imaginação tão rica, o mundo infantil me inspira.

Quais são suas referências criativas da ilustração, design, cinema, arte?
Matisse, Keith Haring, Jonas Woods, Brian Calvin. Meu marido é cineasta, adoro cinema. Amei “Moonlight”, uma história belíssima de amor, muito sensível. Adoro a Iris Apfel e todas as senhoras maravilhosas e descoladas do site Advanced Style.

Seu estilo tem a ver com suas criações?
Meu trabalho é supercolorido, mas estou sempre de preto. Já fui adepta ao brechó e usei muita cor e estampa. Hoje sou bem mais básica e prática. Trabalho com tanta cor que preciso equilibrar. Amo preto, jeans, batom vermelho, listrado, clássicos, pérolas.

Sua assinatura é inconfundível, você deixa a sua marca em tudo o que faz. Sempre foi assim? Ou demorou para você achar a sua cara?

Não achei desde o início e estou sempre em busca da evolução. O pop, os contornos pretos, o traço não muda, mas evoluir é bom para não ficar repetitivo. Sempre busco alguma coisa diferente. É um equilíbrio entre estilo e inovação.

Ana Strumpf

Foto: Alessandro Guimarães

Tem algum ritual durante suas criações?
Às vezes eu anoto para não esquecer. Gosto de desenhar no meu local de trabalho, com meu chá que eu adoro, com minha prancheta. Desenho para cima para não ficar com dor na cervical.

O que a arte de criar significa para você?
90% trabalho duro e 10% inspiração. Fazer e refazer. Ócio criativo sempre. Viver de criatividade não é fácil.

Tem algum trabalho favorito?
Gosto dos meus trabalhos autorais, das capas de revista. Adorei um editorial que fiz para a Elle México ultimamente. E dos editoriais que fiz para a Vogue Brasil.

Para você, o que é ser pop?
Ser pop é ser popular, atingir as massas sem me trair. Me respeitando sempre.

O que tem escutado de música?
Fui no último Lollapalooza, assisti ao show do The Weekend. Adoro ir em shows. Tenho ouvido uma banda de soul chamada Cymande. Adoro hip hop, música negra. Drake, Erykah Badu, Kendrick Lamar…